Folclore japonês

Tsukumogami

Minasan, Ohayô, Kon’nichiwa, Konbanwa!

A espiritualidade é algo bem presente nos costumes e folclore japonês. Mesmo que muitos japoneses se declarem sem religião ou sem crença, a preocupação com o sobrenatural e rituais que os envolvem é algo continuamente presente no dia a dia japonês.

Neste blog já foram apresentados vários deles, como as cerimônias da véspera do ano novo, do ano novo, Setsubun no hi, Hina Matsuri, entre outros.

E uma dessas crenças que ainda continua presente na vida de diversos japoneses é o 付喪神 (つくもがみ – TSUKUMOGAMI).

http://fleyworks.jp/wp/

Desde a era Heian (794 a 1185 d.C), acreditavam-se que se os objetos, existissem mais tempo do que o seu tempo normal esperado, poderiam receber vida e cometer travessuras. Por isso uma das escritas também era o 九十九神, onde 九十九 significa 99 (noventa e nove). É para simbolizar que só faltava mais um ano para chegar aos cem anos.

Devido a essa crença, eles realizam o 煤払い (すすはらい – SUSUHARAI), que é uma grande limpeza antes do ano novo. Nesse costume, além de realizar a limpeza padrão, também descartavam os objetos que estavam sem uso ou que já estavam muito velhos para que não cometessem travessuras em suas casas. o Susuharai é o que deu origem ao Ôsoji.

Porém, os objetos jogados fora, se sentiam ofendidos com tal atitude e se rebelavam, tornando-se um Yôkai.

Esses Yôkai’s, quando encontrados fazendo o mal, eram punidos por pessoas treinadas ou pelo 護法善神(ごほうぜんじん – GOHÔZENJIN), que também é conhecido como Dharmap. Ele é um deus budista protetor. E levado à voltar ao caminho de Buda.

Gohôzenjin
http://www.town.heguri.nara.jp/web/index.html

Há também a crença de que os objetos que continuaram tendo um bom tratamento, após se tornarem um Tsukumogami, em vez de mudarem a sua natureza para Yôkai, tornam-se protetores da casa ou de seu dono. E quando vir algum mal às essas pessoas, ele se coloca no lugar e então se quebra. Demonstrando assim, a sua gratidão.

 @https://www.wikipedia.org/

Essa transformação a um ente sobrenatural, não aconteciam apenas com objetos, mas com animais também era possível. Por exemplo, gatos, raposas, texugos, entre outros animais.

Apesar do nome Tsukumogami estar ligado ao número 99, não quer dizer que é esse tempo que leva para se tornar um. É apenas uma simbologia para indicar o muito em relação ao tempo “normal” de duração.

Será que não temos em casa algum item que está prestes a se tornar um Tsukumogami?

Ou será que já teve um? Já tiveram aquele objeto de estimação e um belo dia quebrou do nada? De repente ele pode ter te protegido de algo.

Mata ne!

Deixe uma resposta