História do Japão

Kimi ga Yo – O hino nacional japonês

Minasan, Ohayô, Kon’nichiwa, Konbanwa!

Ouvimos várias vezes os hinos nacionais de diversos países principalmente nas competições desportivas né?

Já repararam que quando chega no hino nacional brasileiro há uns cortes em lugares estranhos? Pois pudera né! O nosso hino é um dos mais longos do mundo.

Mas quando vamos ouvir o hino japonês parece que não há cortes… Também, raramente vai ter cortes. Pois é um dos hinos mais curtos do mundo, atualmente. E não só isso! Também é um dos mais antigos do mundo.

kimigayo@jin

Kimi ga yo wa
Chiyo ni
Yachiyo ni
Sazare ishino
Iwao to narite
Koke no musu made

Vamos conhecer algumas curiosidades do hino?

  • O hino nacional japonês, é uma poesia da Era Heian (794 a 1192 d.C). Ela faz parte do 古今和歌集 (こきんわかしゅう – KOKIN WAKASHÛ), uma antologia de poesias japonesas por volta do ano de 905 d.C
  • Só foi reconhecido oficialmente como hino nacional em 1999.
  • A poesia Kimi ga yo, escrita em japonês arcaico, atualmente tem duas traduções possíveis mais conhecidas.
    • Uma oração com um desejo de longevidade a alguém próximo. Onde a palavra 君 (きみ – Kimi) significa você.
    • Uma poesia romântica falando a respeito de um casal. De acordo com estudos, no japonês arcaico o Ki/Gi se referia ao gênero masculino e o Mi ao gênero feminino. Daí os nomes dos Deuses japoneses Izanagi e Izanami. Então a palavra KIMI estaria se referindo a um casal em idade para ter um relacionamento amoroso.
  • Na era Kamakura (1185 a 1333 d.C), a poesia se popularizou e era muito utilizada para comemorações, orações de desejo a longevidade e até mesmo como uma canção romântica.
  • Na era Edo (1603 a 1868 d.C) recebeu uma melodia de shamisen e era muito popular em tabernas.
  • E em 1880, através do músico Hiromori Hayashi e do músico alemão Franz Eckert, o Kimi ga yo foi transformado em hino nacional do Japão. Porém até antes da Segunda Guerra Mundial, era cantado como um hino de desejo a paz nacional. Apenas a partir da Segunda Guerra Mundial que ela começou a ser tratada como um hino dedicado ao imperador.
  • E devido a esse uso, após a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, ela ficou proibida de ser cantada por um período, até ser liberada aos poucos.
  • E desde a década de 1970, o hino começou a ser cantado em todas as escolas japonesas nas cerimônias de entrada dos novos alunos, nas formaturas e em várias escolas é comum que cantem o hino nacional no início e final da semana letiva.

 

Para quem ficou curioso para as duas possíveis traduções ao japonês contemporâneo da poesia e a tradução do uso atual:

Como uma oração a longevidade (tradução livre):

Desejo que sua vida seja tão duradoura, 

Por mil ou até mesmo por dez mil anos, tanto quanto uma eternidade.

Tanto quanto o tempo de um seixose tornar rocha.

Tanto quanto o tempo de se formar musgos nessa rocha.

Como uma poesia romântica (tradução livre):

Desejo que Nós estejamos juntos

Até mesmo por outros tempos

Que renasçamos juntos pela eternidade

Que sejamos unidos e lutemos juntos

E que tenhamos fortes laços de confiança

E como hino nacional hoje:

Que o reinado do Imperador

Dure por mil, oito mil gerações

Até que os pequenos seixos

Se tornem fortes rochas

E os musgos venham a cobri-las

 

Passado por gerações, essa poesia manteve uma coisa em comum. Sempre foi usada pensando no bem de alguém. E mesmo depois de mais de mil anos ela ainda é lembrada por muitos e provavelmente ainda continuará por mil ou até mesmo oito mil anos.

Espero que tenham gostado!

Mata ne!

Deixe uma resposta