Idioma japonês, Letras Japonesas

As letras japonesas – parte I

Minasan, ohayô, kon’nichiwa, konbanwa!!

Já viram as escritas japonesas por aí?school_text2_04_nihonshi

@いらすとや

 

Hoje em dia é muito comum encontrarmos a escrita oriental em diversos lugares e formatos. Em restaurantes, adesivos automotivos, tatuagens e em mais diversos lugares.

Mas sempre ficamos na dúvida. Está em japonês, chinês, coreano…?

Então vamos aprender um pouco sobre a escrita japonesa.

Atualmente os japoneses usam 4 tipos de escritas. O Kanji (漢字), Hiragana (ひらがな), Katakana (カタカナ) e o Roma-ji (ローマ字) que é o nosso alfabeto.

Mas nossa! Tudo isso? Vamos ver como cada um funciona primeiro:

  • Roma-ji, é o nosso alfabeto como conhecemos só que usado numa regra própria. A regra ainda não está totalmente padronizada, mas basicamente é a transcrição do som das palavras japonesas. Em 1989 foi divulgado um documento: ISO 3602:1989 “Documentation — Romanization of Japanese (kana script)” que oficializa as regras do uso do Roma-ji. Porém ela não teve muito sucesso e nem o governo japonês o segue a risca.
    • Exemplos de usos: おはよう – Ohayô; こんばんは – Konbanwa
  • Kanji, é o ideograma. Como o próprio nome diz, ele representa uma ideia. Cada letra tem um significado principal e dele podem ser derivados várias outras palavras com a mesma raiz. A sua origem é chinesa e dizem que foi levada ao japão pela primeira vez entre os séculos IV e V. Até então os japoneses passavam os seus conhecimentos através da oralização. Vou falar mais sobre ele na Parte II.
    • Exemplo: 日本 – Japão; 北極 – Polo Norte
  • Hiragana, Caracteres que representam sons e são utilizados para escrever sons e palavras de origem japonesa. Ele deriva do Kanji.
    • Exemplo: Bom dia – おはようございます; Boa noite – こんばんは
  • Katakana, Caracteres que, como o Hiragana, representam sons. Porém são utilizados para escrever sons e palavras de origem não japonesas.
    • Exemplo: Sorvete – アイスクリーム; Brasil – ブラジル

Mas como os japoneses escrevem afinal?

Eles usam todas os 3 grupos de letras japonesas: Kanji, Hiragana e Katakana. Cada grupo terá uma função e todas trabalham em harmonia dentro de uma oração e consequentemente num texto.

Exletra

Sou brasileira mas amo a língua japonesa.

Como dá para ver na oração acima, foram usados todas as letras e cada uma de acordo com a sua função.

A palavra Brasileira é derivada da palavra Brasil (ブラジル) que por não ser japonesa, precisa escrever em katakana. Mas para dizer a nacionalidade é usado a palavra japonesa (um sufixo) então terá kanji (人). Daí ficar ブラジル人。

Uma oração japonesa é composta por partículas que auxiliam na estruturação da oração. Ou seja, são elementos gramaticais japoneses. Vão estar em hiragana. Não em kanji, por serem apenas auxiliares.

Então vamos misturar kanji, para escrever palavras e hiragana para auxiliar/direcionar o seu uso na oração. Ex.: 私 = Eu; 私は = Sou/Fui/Serei

Então a primeira vista parece tudo difícil. Já que não é a nossa letra nativa.

Mas na verdade ela é muito boa para de primeira vista já reconhecermos tudo o que está acontecendo.

É só olhar ↓ que já vamos identificar sem dificuldade o que é palavra, o que está direcionando, qual a palavra de origem estrangeira.

Exletra

 

Repararam que não há espaço entre as palavras? Pois é, não precisa. Pois o uso de grupos diferentes das letras já ajuda a separá-las.

 

E aí? Conseguiram conhecer um pouco das letras japonesas?

Na parte II vou falar da origem das letras japonesas. Começando pelos Kanji’s!

 

Mata ne!

2 comentários em “As letras japonesas – parte I”

Deixe uma resposta